MUNICÍPIO DE GUAPIAÇU
FECHAR

História do Municipio

Guapiaçu/sp

POVOADO SE FORMOU NO SÉCULO 19



Antigo povoado de Ribeirão Claro, Guapiaçu ganhou título de Distrito de Paz em 1927, com a lei número 2.215, mas só foi instalado em 18 de março do ano seguinte.

A história registra que os primeiros povoadores surgiram no final do século 19. Construíram casas de pau a pique em um pequeno descampado, mais tarde denominado Largo da Igreja. No local, ergueram um cruzeiro, ao lado do qual foi erguida uma pequena capela. Os primeiros moradores deram ao lugar o nome de São Sebastião do Ribeirão Claro, nome do rio que passava 500 metros abaixo do largo.



Nenhum historiador ou estudioso conseguiu, até hoje, precisar quem foi o fundador do povoado. Se aceita a versão, não comprovada, de que o fundador teria sido o coronel José Batista de Lima, grande proprietário de terras na época. Em sua homenagem, moradores antigos ergueram uma estátua de seu busto, na atual Praça de São Sebastião.

Oficialmente, sabe-se que o doutor Álvaro Pereira Guedes, agrimensor que morava em São José do Rio Preto, conseguiu, por meio de carta de adjudicação, a posse do quinhão número 24, com uma área de 23 alqueires e 22.465 m², encravada na fazenda Ribeirão Claro, de Venturosa Maria de Jesus. A carta de adjudicação foi registrada no Cartório Imobiliário da Comarca sob o número 13.193, em 15 de agosto de 1919. Com o título das terras registradas, doutor Guedes elaborou uma planta de loteamento, reservando uma área no largo da igreja com 113 por 115 m² para doação ao Patrimônio de São Sebastião do Ribeirão Claro. As informações constam do registro número 14.441, de 10 de outubro de 1919.




O antigo largo da igreja é a atual Praça São Sebastião, onde está a Igreja Matriz da cidade. O povoado teve várias denominações desde então: Vila São Sebastião, Nova Petrópolis, São Sebastião do Ribeiro Claro, Ribeirão Claro e Guapiaçu. As denominações oficiais foram somente Ribeirão Claro e Guapiaçu.

Guapiaçu foi elevado à categoria de paróquia de São Sebastião do Ribeirão Claro por um decreto de 14 de fevereiro de 1931, em vigor desde 5 de julho de 1932. O decreto foi assinado pelo bispo dom Lafaiete Libânio. A paróquia foi entregue ao vigário Henrique Ronchant. A Igreja Matriz foi inaugurada no final de 1.938. O vigário era o padre Ovídio Simon. O lugar foi denominado Guapiaçu pelo Decreto de Lei 14.314, de 30 de novembro de 1944, em vigor a partir de 1.º de janeiro de 1945.

Guapiaçu , em tupi-guarani, significa "Cabeceira Grande" e não Águas Claras como se dizia. A elevação a município, na mesma comarca, com sede na vila de mesmo nome e com território desmembrado de respectivo distrito, aconteceu em 30 de novembro de 1953, com a lei 2.456, em vigor a partir de 1.º de janeiro de 1955. Como município, foi constituído do distrito de Guapiaçu.

A economia do município se sustenta na Agropecuária, produzindo café, arroz, feijão, milho, avícola de corte, cana de açúcar etc. O município fica distante da Capital do Estado 430 km, e a 17 km de São José do Rio Preto. Limita-se com São José do Rio Preto, Olímpia, Cedral, Uchôa, Talhados, Onda Verde e Altair.

Guapiaçu se tornou Independente de São José do Rio Preto, política e administrativamente em 1953, de acordo com a lei estadual 2.456 de 30 de Novembro daquele ano, mas o município só foi instalado em 1º de Janeiro de 1955. Até então gozava do distrito de Paz, condição a que foi elevado em 28 de novembro de 1927 pela lei 2.215, sancionada pelo então presidente do Estado de São Paulo Julio Prestes de Albuquerque. Na época o povoado era denominado Ribeirão Claro. O nome Guapiaçu foi definitivamente adotado em 1945, pelo decreto de lei 14.334, editado no ano anterior pelo interventor federal no estado de São Paulo - Fernando Costa.

Antes de sua emancipação, Guapiaçu foi administrada por subprefeitos. O primeiro prefeito eleito em 1954 foi João Segura Lopes, que ficou no cargo até 1958.

Clique Aqui e veja Veja outras fotos 


Compartilhe: